Oficinas

Participe, venha fazer o Festival conosco!

As oficinas são gratuitas e as vagas por horário são limitadas e feitas por ordem de chegada. Para participar procure a área das oficinas no Expominas e inscreva-se dez minutos antes de cada atividade!

Pipamodelismo

Horários:
Dia 17, Sexta-feira, das 15h às 21h
Dia 18, Sábado, das 11h às 13h e 14h às 20h30
Dia 19, Domingo, das 11h às 13h e 14h às 16h

Com forte presença cultural e muito populares em todos os cantos do mundo, as pipas são conhecidas, desde a sua origem, como uma brincadeira criativa e saudável, que colore os céus, fazendo a imaginação dançar ao sabor dos ventos.  As pipas japonesas trazem algumas imagens com significados específicos, como atributos à vida longa (cegonha ou tartaruga), fortaleza (carpa), prosperidade (dragão), aprendizado (Sugawara, Deus do Aprendizado), boa sorte (Darumá, o anão feliz), assim como faces de demônio para talismã contra a maldade.

Ken Yamazato

Apaixonado por papagaios desde criança, professor Ken Yamazato é engenheiro mecânico e já foi dezenas de vezes premiado em campeonatos e festivais de papagaio. Entrou no o Guinness Book Brasil 98 ao empinar um “trem” de 242 pipas. Em 1999 chegou à marca de 3344 pipas empinadas em uma única linha. Incansável na difusão do pipamodelismo, participa, juntamente com sua equipe, de vários eventos festivos fazendo demonstração não somente de sua técnica, mas, principalmente, ensinando as crianças (e adultos!) a confeccionar e empinar as pipas.

 

Ikebana - Oficina estilo IKENOBO

Horários:
Dia 17, Sexta-feira, das 15h às 21h
Dia 18, Sábado, das 11h às 13h e 14h às 20h30
Dia 19, Domingo, das 11h às 13h e 14h às 16h

O objetivo do workshop é transmitir aos alunos uma noção básica de o que é a Ikebana, a arte floral da cultura japonesa. Haverá uma breve introdução em relação ao estilo tradicional IKENOBO e depois uma demonstração do arranjo a ser feito pelos participantes. Utilizando um recipiente (vasinho), flores , folhagens e/ou galhos, cada participante irá fazer  a sua própria Ikebana, dando assim uma nova vida às flores.

Lina Junko Kawamura

Em 1986, iniciou o curso de Ikebana Ikenobo no Instituto de Ikebana Ikenobo do Brasil. Em 1997  realizou o curso intensivo de um ano à convite do Grão-mestre Sen ei Ikenobo do Japão, em Kyoto. Já recebeu o Prêmio Tachibana Sho no Japão, sendo professora do Instituto de Ikebana Ikenobo do Brasil. Entre vários trabalhos, pode-se destacar a participação na exposição de 550 anos do Ikenobo do Japão, como representante do Brasil, em 2012, além da participação anual nas exposições do Instituto de Ikebana Ikenobo do Brasil e da Associação de Ikebana.

Mangá

Horários:
Dia 17, Sexta-feira, das 15h às 21h
Dia 18, Sábado, das 11h às 13h e 14h às 20h30
Dia 19, Domingo, das 11h às 13h e 14h às 16h

Atividade com objetivo de ressaltar e praticar alguns dos pontos fortes do traço no estilo oriental, mostrando as etapas que um desenho passa até chegar em seu resultado final. Trabalhar o esboço de estrutura básica e após adicionar detalhes anatômicos ao desenho, com as característica e personalidade do traço mangá.

O estilo que determina os quadrinhos japoneses se define principalmente pela expressividade de seus personagens, que ganham um detalhamento maior no desenho dos olhos ao mesmo tempo em que se simplifica outros detalhes com menor expressão. A dinâmica na arte também é priorizada, o que dá uma movimentação vívida mesmo se tratando de ilustrações estáticas. A poesia sutil e os contrastes sempre presentes na cultura japonesa também fazem parte do mangá, tornando-o um estilo único e bastante apreciado no mundo todo.

Ricardo Yoshio Okama Tokumoto

Ricardo Yoshio Okama Tokumoto, ou Ryot, nasceu em 1986 na cidade de Limeira, interior de São Paulo. Mudou-se pra Belo Horizonte em 2006 e cursou a faculdade de Belas Artes na UFMG, com bacharelado em Cinema de Animação. É responsável pelo site ryotiras.com , além de fazer quadrinhos pra revista MAD e outras publicações esporádicas. Em parceria com Daniel Bretas, venceu o concurso Brazil Mangá Awards pela editora JBC, tendo sua história STARMIND pulbicada no primeiro volume da Henshin Mangá. Com o sucesso do projeto, Starmind agora está tendo continuidade pela editora Draco.

Oshiê

Horários:
Dia 17, Sexta-feira, das 15h às 21h
Dia 18, Sábado, das 11h às 13h e 14h às 20h30
Dia 19, Domingo, das 11h às 13h e 14h às 16h

Consiste em compor figuras como flores, pássaros, personagens e etc., através de desmembramentos de várias partes as quais são recortadas em papelão forrado com espuma e algodão para ficarem acolchoados e forrados com papel especial artesanal japonês “washi”. Antigamente eram forrados com tecidos de seda pura.

Alice Tieko Saguti

Arte Oshiê, formada em 2003 pela Aliança Cultural Brasil Japão, com a Professora M. Iwashita.
Em  1968 , formou na língua japonesa pela Aliança Cultural Brasil Japão.
Participa de Eventos e ministra oficinas de “Oshiê” e “washi kurumiê” desde 2005, participações tais como: em 2008 na Semana Cultural no Palácio de Convenções do Anhembi pelo Centenário da Imigração Japonesa; no Palácio de Verão do Governo do Estado de São Paulo; vários anos no Japan Experience pelos jovens do Bunkyo; 4º e 5º Festival do Japão em Minas; Bunkamatsuri; e muitos outros.  

Origami

Horários:
Dia 17, Sexta-feira, das 15h às 21h
Dia 18, Sábado, das 11h às 13h e 14h às 20h30
Dia 19, Domingo, das 11h às 13h e 14h às 16h

TÉCNICAS QUE TRANSFORMAM PAPEL EM ARTE

Técnica milenar de dobrar papel. A palavra é composta por dois caracteres. O primeiro ORI significa dobrar e o segundo KAMI significa papel. O ORIGAMI é uma cultura transmitida como um idioma comum desde os tempos antigos no Japão, largamente divulgada pelo mundo. Hoje o ORIGAMI é uma das mais populares expressões artísticas japonesas, sendo transmitido de pai para filho e também em cursos de cultura nipônica em todo o mundo. Esta arte é utilizada em várias áreas das ciências, como recurso pedagógico, ajudando na concentração, criatividade, memória, coordenação motora, predispõe à calma e disciplina, combatendo o estresse e também muito utilizado como terapia.

SENBAZURU

A tradição de dobrar mil grous ou tsurus é chamada no Japão de Senbazuru e até hoje é bastante popular no país. Há uma crença antiga no Japão de que se forem feitos 1.000 tsurus de Origami com o pensamento focado em uma necessidade, este desejo será realizado. Por este motivo, muitos japoneses fazem 1.000 origamis de tsuru e deixam em templos com desejo de que seus pedidos sejam atendidos. Costuma-se seguir esta tradição quando um amigo ou parente está enfermo. Várias pessoas se juntam em uma espécie de mutirão para cumprir a meta de dobrar 1.000 tsurus, com o objetivo de alcançar a pronta recuperação da pessoa. Um belo exemplo de solidariedade. No Japão, é possível encontrar até kits prontos para a montagem do SENBAZURU.

TSURU (GROU), SÍMBOLO DA PAZ E SAÚDE

A dobradura mais conhecida é a do TSURU, um pássaro estilizado que representa um grou, uma espécie de cegonha. Segundo a lenda, o TSURU, ave sagrada do Japão vive mil anos. Por isso aquele que fizer mil TSURUS concentrando-se em um desejo, será atendido. Também é símbolo de longa vida e boa sorte.

Kennya Luz

Artesã graduada em artes visuais pela UEMG. Iniciou seus trabalhos com origami em 1999, desde então, vem ampliando seu repertório de maneira independente e livre. Ministra cursos, oficinas e workshops de origami em escolas e universidades de Minas Gerais.  No ano de 2016 foi responsável pela decoração e oficina de origami do 5° Festival do Japão de Belo Horizonte. Atualmente é empreendedora do Ateliê Diadorim e trabalha na rede de saúde mental de Belo Horizonte ministrando oficinas de arte em papel e tecido.

Quando?!

17 a 19 de fevereiro de 2017

Horários

Dia 17, Sexta-feira, das 14h às 22h
Dia 18, Sábado, das 10h às 22h
Dia 19, Domingo, das 10h às 19h

Onde?!

EXPOMINAS - Belo Horizonte
Av. Amazonas, 6200

Quanto?!

R$16,00 inteira
R$8,00 meia-entrada*
por dia de evento
Ingresso à venda no local
nos dias do evento

*conforme Lei Municipal nº 9.070/2005
e Lei Federal nº 12.933/2013

Obs: O estacionamento é operado pela CODEMIG. R$10/hora e R$32/diária. Valores do estacionamento podem sofrer alterações sem aviso prévio.